Avenida Otávio Santos, n° 309 - Recreio (77) 2101-2353 | (77) 98825-1082

Tuberculose tem tratamento e cura!

março 24, 2021

24 de março é o Dia Mundial de Enfrentamento à Tuberculose. A data serve para conscientizar o público sobre as devastadoras condições de saúde, sociais e econômicas da tuberculose (TB) e intensificar os esforços para acabar com a epidemia global de tuberculose.

Transmissão:

A tuberculose é uma doença de transmissão aérea e ocorre a partir da inalação de aerossóis oriundos das vias aéreas, durante a fala, espirro ou tosse das pessoas com tuberculose ativa (pulmonar ou laríngea), que lançam no ar partículas que contêm bacilos.

Calcula-se que, durante um ano, numa comunidade, um indivíduo que tenha baciloscopia positiva e que não esteja em tratamento, possa infectar, em média, de 10 a 15 pessoas.

Má alimentação, falta de higiene, tabagismo, alcoolismo, uso de drogas ilícitas ou qualquer outro fator que provoque baixa resistência orgânica, também favorece o estabelecimento da doença.

Sintomas:

O principal sintoma da tuberculose é a tosse na forma seca ou produtiva. Por isso, recomenda-se que toda pessoa com tosse por três semanas ou mais, seja investigada para tuberculose. Há outros sinais e sintomas que podem estar presentes, como:

– febre vespertina;
– sudorese noturna;
– emagrecimento;
– cansaço/fadiga.

Tratamento:

O tratamento da tuberculose é feito com medicamentos e dura, no mínimo, seis meses. É gratuito e disponibilizado no Sistema Único de Saúde (SUS), devendo ser, preferencialmente, em regime de Tratamento Diretamente Observado (TDO). Além da construção do vínculo entre profissional de saúde e a pessoa com tuberculose, o TDO inclui a observação da ingestão dos medicamentos pelo paciente, sob a observação de um profissional de saúde ou outros profissionais capacitados.

A pessoa com tuberculose deve ser orientada, de forma clara, quanto às características da doença e do tratamento a que será submetida, bem como sobre o uso dos medicamentos, duração e regime de tratamento, benefícios do uso regular dos medicamentos, possíveis consequências do uso irregular dos mesmos e eventos adversos. Todas as pessoas que seguem o tratamento corretamente ficam curadas da doença.

Prevenção e controle:

A principal maneira de prevenir a tuberculose é com a vacina BCG (Bacillus Calmette-Guérin), disponível gratuitamente no SUS. Essa vacina deve ser dada às crianças ao nascer, ou, no máximo, até 04 anos, 11 meses e 29 dias de idade e protege contra as formas mais graves da doença, como a tuberculose miliar e a meníngea.

Ainda como medida preventiva, é necessário avaliar familiares e outros contatos do paciente para que não desenvolvam a forma ativa da tuberculose.

A tuberculose é um dos agravos fortemente influenciados pelos determinantes sociais, apresentando relação direta com a pobreza e a exclusão social. Assim, além dos fatores relacionados ao sistema imunológico de cada pessoa e à exposição ao bacilo, o adoecimento por tuberculose, muitas vezes, está ligado às condições precárias de vida, afetando grupos populacionais em situações de maior vulnerabilidade:

– indígenas;
– pessoas privadas de liberdade;
– pessoas que vivem com HIV/aids;
– pessoas em situação de rua.

Fonte: Ministério da Saúde

Compartilhar:

Este site preconiza que qualquer problema de saúde de um paciente deve ser resolvido por profissionais da área de saúde, durante consulta médica fora do âmbito virtual. Desta forma, todas as informações disponíveis neste site foram concebidas para apoiar, e não para substituir a consulta médica. Pelo mesmo motivo, este site não oferece serviços ou aconselhamento médico-profissional.
A informação médica via Internet pode complementar, mas nunca substituir a relação pessoal entre o paciente e o médico. Por uma questão de ética e de responsabilidade profissional não podem ser dadas consultas nem prescritos tratamentos médicos sem o exame pessoal do paciente. Procure sempre a orientação de um médico em quem você possa confiar e siga a sua orientação.